martes, 5 de octubre de 2010

Memorial de Maria Moura (1992)

É o último livro escrito pela cearense Raquel de Queiroz. A trama situa-se em meados do século XIX, no sertão nordestino, e conta a história de Maria Moura, moça que é levada pelas circunstâncias a liderar um bando de aventureiros que praticam roubos e vivem de forma desregrada.
A jovem Maria Moura encontra a mãe morta, enforcada com o cordão de uma rede, já tinha perdido o pai na infância e passa a ser criada pelo padrasto, Liberato, que a seduz, aproveitando-se da carência da garota, e a transforma em sua amante. Um dia tenta induzi-la a assinar documentos que passariam para ele a propriedade herdada de seu pai... Aos poucos ela, vai perdendo o medo se torna uma mulher de fibra, muitas vezes fria e impiedosa,...
Obra de literatura acessível da linguagem simples e direta, que busca reproduzir a fala do sertanejo, bem como retratar a cultura popular olhada desde uma mulher de classe média alta.
A ênfase está na ação exterior e a ambientação em espaços rurais, sertanejos, distantes dos grandes centros urbanos.
O livro serviu de inspiração para uma minissérie televisiva homônima. video