viernes, 24 de diciembre de 2010

A estrutura da bolha do sabão

Esse conto dá nome ao livro.
A história: A personagem feminina não tem nome e reencontra uma antiga paixão: um físico, agora casado. No tempo anterior, ele estudava a estrutura da bolha de sabão.
No momento do encontro, ele estava acompanhado de sua mulher, a protagonista automaticamente lembra do tempo compartilhado dos dois, em que brincavam com as bolhas de sabão “A estrutura da bolha de sabão, compreende? Não compreendia.” Ela se sentia atraída por ele.
No conto, muito tempo depois, a atração ficou evidente e a esposa do físico sentiu ciúmes.
Ocorre um segundo encontro em uma exposição de pintura. A paixão aflora na personagem. Novamente os ciúmes afloram na esposa do físico. É nesta festa que a personagem descobre, através de um amigo em comum, que seu amado está doente.
Foi até a casa do casal aí é tratada com muita cordialidade e sem nenhuma sombra de ciúmes pela esposa outra mulher quem saiu deixando-os a sós.

Os personagens mostram a frágil existência. Tem a representação do amor, do ódio, da sensibilidade, da crueldade, da sutileza, dos desejos. Tudo se estoura finalmente como a bolha do sabão. Valoriza os cinco sentidos, usa adjetivos nas descrições dando cor às imagens. O tempo todo são lembranças, devaneios.
A memória e a invenção se confundem se misturam. O conto está em primeira pessoa, autobiografia? mergulhou nos detalhes, incógnitas, enigmas...