sábado, 5 de junio de 2010

Resumo: Capítulos 6 e 7

6. O Aquitania estava fundeado à entrada do porto de Recife. Os poucos passageiros que desembarcavam desciam em pequenas cestas de vime, o mar estava infetado de tubarões, o calor era intenso. Sherlock e Watson sobre a amurada, W. achava que estava na Índia. Os pescadores tinham um sistema de pesca invulgar, tiravam no mar abóboras quentes. Os tubarões engoliam sem mastigar, as abóboras queimavam as entranhas dos animais e morriam saindo à superfície. Engenhoso e primitivo! Foram ao salão que era usado para todos os eventos. Quando cruzaram o Equador, tiveram uma festa de disfarces e Holmes ganhou o primeiro prêmio vestido de cigana. Antes da festa Sherlock usou muita cocaína e terminou dançando com o comandante. No cais, trabalhando, estavam os escravos seminus. No salão, recebeu um telegrama do Inspetor Pimenta, escrito num inglês bisonho. Um policial pedindo auxílio por os crimes escabrosos.
Júlio Augusto Pereira, o Marquês de Salles, era um nobre boêmio que sofria de ataques de gota. O médico tinha recomendado banhos de mar, então seguia direito do dia anterior e estava na praia cedo na manhã. Ele gostava de seu médico porque tinha boa disposição e não proibia bebidas. Os dois estavam de vagabundo até altas horas da noite. Estando na praia, escutou falar em francês, virou-se, era Sarah! As senhoras não iam de banho nessas horas, ela não conhecia as costumes daquela terra. A vestimenta deles era ousada e ela tinha um chapelão preso ao queixo com um lenço de seda. Ele tinha visto a Sarah no jantar do hotel. Nesse momento ela estava na praia para serenar seu mau humor, o ar marinho era bom para vencer essa doença. Uma atriz de segunda teve a audácia de desdenhar ao público recitando seu papel mecanicamente. Sarah deu uns tabefes nela e quebrou uma sombrinha na cabeça. A menina deu uma queixa na delegacia e Sarah timha que ir a falar, só iria se fosse necessário. Seu advogado Nabuco era muito competente. Ele era irmão de um deputado, tinha impressionado favoravelmente a Sarah por seu conhecimento do francês e seus poetas. Ele pensava que a francesa, a pesar da idade ainda daria bom caldo.
Quando Sarah chegou a delegacia tudo era rebuliço. Mello Pimenta achou que tudo era um aborrecimento, estava investigando os crimes, ainda não tinha juntas todas as pistas e tinha que perder o tempo com as coisinhas de Sarah Bernhardt. Ao chegar com seu advogado Nebuco se sentou e começou a fala. O advogado disse que a queixa que fizera a menina não tinha fundamento e era deplorável. Que era fantasia da moçinha que a atriz só desempenhava seu papel já que a bofetada e a quebra da sombrinha foi uma criação dela... Todos o aplaudiram e disseram que o incidente seria superado, que Sarah tinha que se levar ótima impressão dessa terra. E assim foi, o advogado Nabuco era influente...
Pimenta perguntou a Sarah se lembrava do cartão... refere-se ao cartão que estava na mão da menina. Sarah o reconheceu, então perguntou todo o que ela sabia.

7. Percebeu-se o assassino: Ele lançou sua sombra na parede, era o que viram as vítimas antes de se morrer. Depois leu... sobre os pulmões...Ouviu o ar que saiu de seu corpo. Olhou o frasco com as orelhas... preparou a faca e a pedra de amolar... estava ofegante e excitado...
.......
Sarah Bernhardt
A livraria de Miguel Solera Lara era um ponto do encontro de intelectuais, eles não compravam, liam ai mesmo. Até marcavam o ponto para poder continuar com a leitura. O dono era pequeno, magro, feio e muito míope, com chapéu-de-coco jogado para trás da cabeça. Era um apaixonado pela Inglaterra. Às duas horas, poucas pessoas na livraria... entrou Sarah queria um livro de Emile Zola. Com muita emoção Solera de Lara a atendeu, E.Z. causava alvoroço no Paris mais o último livro não tinha chegado. Falaram de rebelião e greve e Sarah faz a diferença. Ao sair, Sarah tropeçou com Mercedes Legal e caiu no chão tudo o que ela tinha, livros, cartas de tarot... Sarah pediu para ela que tirasse as cartas. Mercedes as usava só como passatempo. Os acompanhantes de Sara não quiseram ficar já que esperavam o médico para o empresário Jarrett que tinha febre.
No gabinete de leitura, começaram com as cartas... Mercedes se desculpou já que eram novas e tinha dificuldades por isso. Leu as figuras... Sarah era de grande poder, talento e sedução. A preocuparam algumas cartas, disse a Sarah que não voltara ao Brasil já que via um acidente de graves consequências. Sarah se levantou e pôs sinal nos baralhos novos, não se deve confiar.