martes, 23 de noviembre de 2010

Conceitos Históricos. 1961-2003

Obras da artista plástica Marysia Portinari

Durante os anos 1961 a 1964, os governos adotaram uma política austera e independente isso desagradou profundamente a setores das Forças Armadas e outros segmentos sociais. Restabeleceram-se as relações diplomáticas com a União Soviética. Sucederam-se três presidentes, em meio às tensões sociais e à pressão externa, precipitaram-se os acontecimentos. Organizou-se uma marcha, o objetivo era mobilizar a opinião pública contra a política desenvolvida pelo governo que conduziria, de acordo com seus opositores, à implantação do comunismo no Brasil.
O Golpe de 1964 submeteu o Brasil a um regime alinhado politicamente os Estados Unidos da América. O governo que se transformou numa ditadura altamente repressiva, que praticou a tortura e assassinatos de cidadãos a fim de neutralizar e eliminar os opositores políticos e os grupos subversivos, fortaleceu-se o poder do Executivo e incentivaram-se os investimentos estrangeiros no país, estimularam-se as exportações e a ampliação do crédito ao consumidor.
Os militares se sucederam no governo, ditaram leis para sustentar todas as mudanças e medidas políticas colocadas em prática durante o período. O Congresso estava aberto e mais não funcionava. As greves foram proibidas e os governos intervieram em todos os sindicatos trabalhistas.

Inicia-se o bipartidarismo, promulgou-se uma nova Lei de Segurança Nacional que se transformou num poderoso instrumento de controle e vigilância política sobre todos os setores da sociedade civil.
A perseguição política dava no alvo, marcada pelas torturas, mortes e prisões. A campanha publicitária oficial com cartazes defendia o atuado.
O chamado “milagre econômico” foi marcado pela realização de grandes obras da iniciativa pública.
O último presidente do regime militar, marcou o início do processo de redemocratização política. Começaram a surgir diversas greves, contrariando o que determinaram os militares. As de maior destaque foram do sindicato de metalúrgicos. O regime interveio no sindicato, as greves foram reprimidas, mais os empresários desejavam acabar com isso. Os trabalhadores acordaram com os empregadores um aumento de salários, o retorno de Lula às suas funções no sindicato e de todos os outros presos. Decretaram-se eleições diretas para os Estados a partir de 1980.
Os avanços políticos provocaram reação da direita reacionária que começaram praticar sequestros e atos com bomba. Em 1981, os atos violentos eram muitos.
Em 1982, as eleições fizeram que a oposição saísse vitoriosa, consolidou-se o processo de redemocratização do País, isso garantiu à maioria da população brasileira o direito a participar na vida política nacional. Foi restabelecido o direito de voto, a garantia de amplas liberdades sindicais, além da convocação da Assembléia Nacional Constituinte.
As forças políticas que compunham o Governo estavam muito desacreditadas e a oposição conquistava cada vez mais força.
Nos anos 90 foram tomadas medidas econômicas drásticas e de grande impacto a fim de solucionar a grave crise da hiperinflação. Os salários e os preços foram congelados, os depósitos bancários foram confiscados. A recessão e o agravamento da crise econômica afetaram a popularidade dos governos. Começou-se a falar de corrupção. O governo ficou completamente isolado política e socialmente. O país enfrentava uma grave crise econômica, com a inflação importante.
Uma forte desvalorização da moeda provocada por crises financeiras internacionais leva ao Brasil a uma grave crise financeira que, para ser controlada, levou aos juros reais mais altos de sua história e a um aumento enorme na dívida interna. Foram privatizadas algumas rodovias federais, a maioria dos bancos estaduais responsáveis do déficit público e o sistema telefônico brasileiro. Foi adotada a terceirização de serviços e de empregos públicos em áreas consideradas não essenciais. Criou o Bolsa Escola, e outros programas sociais destinados à população de baixa renda, que atingiu 4 milhões de famílias beneficiadas, também se investiu em infra-estrutura, duplicando importantes rodovias brasileiras.
Nesse contexto assumiu a presidência Luiz Inácio Lula da Silva no ano 2003