martes, 23 de noviembre de 2010

A Posguerra. Conceitos Históricos deste período

Depois da segunda guerra, a economia mundial se globalizou enquanto se fragmentou em blocos regionais. A partilha do mercado mundial envolve as estratégias das grandes corporações econômicas e as políticas externas dos Estados. Os movimentos de integração e abertura de mercados repercutiram sobre áreas do mundo subdesenvolvido, de variadas maneiras.
Criam-se planos econômicos para conter o avanço do socialismo. A Europa ficou dividida em Europa ocidental capitalista e Europa oriental socialista, entre elas a "Cortina de Ferro". A Europa perde as suas colônias afro-asiáticas e aumento da situação de subdesenvolvimento mundial.
No Brasil, é eleito Getúlio Vargas (1951/1954)
Sua ideologia nacionalista, intervencionista e paternalista ganhou novo impulso, procurou restringir as importações, limitar os investimentos estrangeiros no País, impedir a remessa de lucros de empresas estrangeiras instaladas, para seus países de origem. Em 1952, criou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico, a fim de incentivar a indústria nacional, procurou compensar os trabalhadores, grandemente afetados pelo processo inflacionário, dobrando o valor do salário mínimo. Com isso, conquistou o apoio da classe trabalhadora. A política estatizante, de cunho nacionalista, desencadeou a oposição de empresários ligados às empresas estrangeiras.
Acusaram a Vargas de estar tramando um golpe que estabelecia uma República sindicalista, consciente de sua deposição em breve, Vargas surpreendeu seus inimigos e a nação, suicidando-se, o vice-presidente Café Filho assumiu o poder.
Café Filho (1954/1955) Empossado como presidente da República em meio a um clima de grande comoção nacional montou uma equipe de governo composta basicamente por políticos, empresários e militares de oposição a Getúlio. Ficava claro, portanto, que o novo presidente compartilhava das opiniões desses setores e afastava-se, assim, da política de Vargas. Foi afastado por motivos de saúde, sendo substituído por Carlos Luz, presidente da Câmara de Deputados que foi deposto e substituído pelo vice-presidente do Senado, ficou no governo por apenas quatro dias. Nereu Ramos, se encarregou de transmitir os cargos a Juscelino Kubitschek
Juscelino Kubitschek (1956/1961)
Na eleição presidencial de 1955, o Partido Social Democrático e o Partido Trabalhista Brasileiro se aliaram, lançando como candidato Juscelino Kubitschek para presidente e João Goulart para vice-presidente.
Foi a gestão presidencial na qual se registrou o mais expressivo crescimento da economia brasileira. Na área econômica, o lema do governo foi "Cinquenta anos de progresso em cinco anos de governo".
Para cumprir com esse objetivo, o governo federal elaborou o Plano de Metas, que previa o crescimento econômico a partir da expansão do setor industrial, com investimentos nas produções, nas maquinaria pesada e equipamento elétrico. Recebeu apoio de importantes setores da sociedade, incluindo os militares, os empresários e sindicatos trabalhistas. O acelerado processo de industrialização registrado não deixou de acarretar uma série de problemas para a econômica brasileira já que os investimentos que realizavam no setor industrial eram a partir da emissão monetária e da abertura da economia ao capital estrangeiro. Isso ocasionou um agravamento do processo inflacionário, e uma progressiva desnacionalização econômica, porque as empresas estrangeiras passaram a controlar setores industriais estratégicos da economia nacional, preponderantemente nas indústrias automobilísticas, de cigarros, farmacêutica e mecânica.
Por um lado o Plano de Metas alcançou os resultados esperados, por outro, foi responsável pela consolidação de um capitalismo dependente.
Tinha implementado um ambicioso programa de obras públicas onde se destaque a construção da nova capital federal, Brasília. A nova cidade e capital federal foi o símbolo máximo do progresso nacional e foi considerada Patrimônio Cultural da Humanidade. O responsável pelo projeto arquitetônico de Brasília foi Oscar Niemeyer e o projeto urbanístico ficou a cargo de Lúcio Costa. A cidade foi inaugurada pelo presidente, a 21 de abril de 1960.
Não esteve a salvo de críticas dos setores da oposição, as críticas baseadas na denúncia de escândalos de corrupção e uso indevido do dinheiro público sem prejudicar a estabilidade governamental.