viernes, 26 de noviembre de 2010

Conto: Felicidade Clandestina

No conto 'Felicidade Clandestina' mostra que o prazer da leitura é solitário e, quando difícil de ser conquistado, torna-se ainda maior. O conto narra a crueldade da filha do dono de uma livraria que se recusa a emprestar 'As Reinações de Narizinho', de Monteiro Lobato, até que a intervenção da mãe da menina permite à narradora deliciar-se, vagarosamente, com a posse do livro.
Sentada na rede, balançando-se com o livro aberto no colo em êxtase puro: “Não era mais uma menina com um livro; era uma mulher com o seu amante”
A história, como outras do livro, acontece no Recife, onde a autora passou sua infância.